O amor é algo muito importante nas nossas vidas. Na colónia da Cáritas, aprendi a valorizar isso. Todos os anos, ao entrar pela porta da Casa Amarela, entramos num mundo novo.

Fazer colónia na colónia balnear da Cáritas de Leiria, é sentir e ser algo mais desse mundo novo. Ser parte da colónia é termos a oportunidade de descobrir algo novo e de também descobrirmo-nos a nós mesmos. Fazer colónia é divertirmo-nos. Fazer colónia é aprender a respeitar. Fazer colónia é aprender que não faz mal ser como somos. Ser parte da colónia é sermos todos iguais.

Fazer colónia é aprender a valorizar o que temos. Nesta colónia valorizamos o carinho e paciência que os monitores tém por nós, visto que todo o trabalho que estes fazem, é voluntariado.

Fazer colónia é receber algo mais de Deus. É como uma chama que se acende no nosso coraação no momento em que pisamos aquela casa para uns dias de descoberta e conquista.

Fazer colónia é arrepiarmo-nos cada vez que cantamos as canções da magia da Casa no fim do serão. É reflectir. É relaxar. É sentir.

Ao fazermos colónia temos oportunidade de conhecer várias pessoas e de deixar todo o nosso mundo para trás, todos os nossos problemas, preocupações e stresses para trás e aprender a viver com pessoas.

Neste mundo que é a Casa Amarela, ouvimos muitas vezes algumas palavras que representam a saudade de casa. Por vezes, pode até existir quem diga que não gostei¦ Mas na verdade, todos sentem… Todos sentem um bocadinho da chama que Ele põem em nós. Que os monitores põem em nós. Que os funcionários da Casa põem em nós. Que os nossos amigos põem em nós.

Fazer colónia é uma experiência que aconselho a toda a gente. Tudo o que nos é dado nesta casa, é nos dado com dedicação. Os utentes e monitores da colónia dedicam-se e aprendem… Aprendem muito.

Da colónia tambêm faz parte o aceitar. Aceitar que somos todos iguais, mas ao mesmo tempo, todos temos as nossas diferenças que nos fazem únicos e genuí­nos. Aceitar que o pão que nos é dado todos os dias é valioso e por isso, os monitores insistem para que comamos tudo. Mas o mais importante é que nos aceitamos a nós mesmos e aos outros.

O aceitar vem com o amor. O amor é o sentimento que mais perdura neste mundo encantado. Não só a amizade, como também o amor. Se não amarmos, quem amará por nós? Amar é crescer, respeitar e ouvir. Amar é importante e essencial na vida de cada um de nós. E de todos os ingredientes na receita para uns bons 6/10 dias na Casa, este é o mais importante.

AMA-TE! Sê tu mesmo! Encontra-te! Mas AMA-TE!

Beatriz Ribeiro, criança e adolescente desde 2010.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *