Domingo, 24 de julho de 2016

Mais um dia se passou em Tiresopólis…

Com as energias recarregadas, depois de uma noite de descanso os cirinos tomaram o pequeno-almoço em silêncio e seguiram para as suas carabinas. Camas feitas, dentes lavados, protector solar posto, toalha ao ombro e boné na cabeça, estavam prontos para irem para a praia. Com os pés já na areia e com grande entusiasmo brincaram, jogaram futebol, cartas, fizeram construções na areia, correram e pularam.

A alegria aumentou quando o momento por eles tanto aguardado chegou, a ida ao mar. O mar estava perfeito para alguns mergulhos, chapinhar na água e muita molha à mistura como eles gostam. Claro que depois de tanta diversão na praia os cirinos precisavam de encher as suas barrigas para o que se seguia, como costumam cantar “Tenho fome muita fome, sede muita sede, vamos almoçar para depois ir brincar”. Após tanta algazarra e agitação chegou a hora de almoço, para surpresa dos cirinos a D. Saudade preparou uma refeição bem especial, frango com batatas fritas e salada que todos adoraram e devoraram com uma enorme satisfação e rapidez.

Mas as surpresas não terminaram, como sobremesa deliciaram-se com um saboroso gelado. Neste dia, em vez da hora da sesta a seguir à hora do almoço, os cirinos tiveram a aprender os cânticos para a eucaristia com a ajuda de dois Nameks: um que tocava guitarra e outro que cantava. Enquanto isso, os outros Nameks arrumavam e limpavam as carabinas. Depois de um breve ensaio, das suas vozes estarem afinadas e coordenadas chegou a altura dos cirinos irem todos juntos até o ancestral de Namalek onde foi celebrada a eucaristia. Durante esta, o sacerdote conversou com os cirinos e com a população de Namalek sobre a importância da oração e da partilha, elementos que em Tiresopólis são privilegiados. Tal como os cirinos se expressaram partilhando que rezam todos os dias, principalmente antes de cada refeição e ao deitar. Com muita alegria, força e entusiasmo os cirinos cantaram os cantos eucarísticos preenchendo o ancestral com as suas vozes harmoniosas. Finalizada a missa, todos juntos realizaram a viagem de regresso apressadamente para Tiresopólis.

Aqui tomaram todos banhos para ficarem bem cheirosos. Ao final da tarde e com bastante apetite foi a altura de os cirinos se alimentarem com o fantástico jantar na Bokassa, mas nem assim esfomeados as suas vozes se deixaram de fazer sentir parecendo terem cada vez mais energia. O que os cirinos ainda não sabiam é que iriam precisar delas durante o passeio higiénico. Nessa altura o Galitano atribui a todas as fações uma missão muito importante que os levou à descoberta do diário do tio Gouchete. O diário continha uma mensagem onde explicava que apareceria em breve.

Inesperadamente, durante o serão o tio Gouchete surgiu muito revoltado, pois descobriu que estes tinham estado na presença do Galitano e que o estavam a apoiar, uma vez que conseguiu recuperar as imagens das câmaras de vigilância. O tio Gouchete zangado, decidiu vingar-se nos Nameks, promovendo uma competição entre eles de karaoke e dança de coreografias.

Como nem todos os desempenhos dos Nameks lhe agradaram, este escolheu alguns para sofrerem um último castigo, o toque final (fazer uma pizza margarita). Os Nameks sentados levaram com um conjunto de ingredientes (farinha, água, ovos, entre outros.) com o intuito de fazer uma pizza com eles próprios o que os deixou completamente sujos e imundos.

Para terminar o tio Gouchete retirou-se e os cirinos juntamente com os seus Nameks fizeram a oração final do dia. Por último dirigiram-se para as carabinas para dormitarem , porque amanhã um novo dia os espera cheio de aventura e mais magia à mistura.